quarta-feira, 16 de março de 2016

CRISTÃOS IDIOTAS



É triste de mais ver cristãos (e muitos são pastores e líderes), postando nas
redes sociais conteúdos que expressam sua alienação política, e que alienam seus pares. Esses podem ser chamados de idiotas segundo a concepção do filósofo Mario Sérgio Cortella, (pois a expressão idiótes, em grego, significa aquele que só vive a vida privada, que recusa a política, que diz não à política). Tudo o que diz respeito aos interesses da população, deve nos desafiar como cristãos e cidadãos. Não devemos nos mover apenas por aquilo que diz respeito a nós mesmos e aos nossos irmãos de fé. Somos concidadãos dos céus como diz a Bíblia Sagrada, mas também vivemos na Pólis. O problema é quando fazemos a divisão cristão/cidadão. Isso gera um estrabismo político. Há muitos cristãos politicamente estrábicos por aí, que não enxergam um passo a frente e por isso não sabem para onde o país está indo e muito menos se envolvem nas questões que se referem aos interesses comuns. A Igreja de Cristo deve denunciar, qualquer pecado social. Pecados sociais são pecados que estão na estrutura da sociedade, em nosso sistema político. Os casos de corrupção do petrolão, assim como a máfia das merendas são expressões de pecado social. O que está em questão em toda essa conjuntura de manifestações por toda a nação, é a ação de um sistema opressivo baseado no amor ao dinheiro e ao poder. Isso é contra a justiça de Deus, portanto, compactuar com essa torrente de pecado e corrupção, é tornar-se uma injúria ao ensino do Novo Testamento, que nos orienta ao engajamento no mundo. Cristãos idiotas, dizem: "A igreja não deve se envolver com política, pois ela está na terra para salvar mais almas e povoar o céu". Diante de argumentos dessa estirpe, respondo com os dizeres do saudoso pastor Robinson Cavalcante: "O ser apolítico é um escapismo, uma fuga, uma irresponsabilidade com sonora roupagem pseudo-inteligente. É uma racionalização, uma elaboração de desculpa para o indesculpável, revestida, no caso do cristão, de uma embalagem espiritual, uma espiritualização do pecado". Como bons cristãos devemos nos envolver ativamente com questões políticas, porque fomos colocados aqui por Jesus, como sal da terra e luz do mundo. Vivemos no mundo e não podemos nos isolar dele, de modo que o desprezo as coisas políticas é uma atitude de total covardia. Talvez esse desprezo ocorra por falta de instrução ou por uma compreensão equivocada da complexidade da fé cristã. À título de exemplo, há alguns dias, recebi de um irmão na fé a seguinte reprimenda: "Querido pastor Rodolfo precisamos orar. Não é nas ruas que ganharemos essa batalha". Como cristão, concordo que a oração é o principal fator de mudança social, e a primeira coisa que se deva fazer em prol de nosso país, mas o que me preocupou foi a sua atitude de inércia política. "Não é na rua que iremos ganhar essa batalha". Será mesmo? Acredito que na vida deste irmão de fé, assim como na vida de muitos outros, lhes falta aquilo que chamamos de utopia. "Utopia é babaquice", dizem. "O que esses manifestantes estão fazendo não passa de utopia, pois nada vai mudar", afirmam presunçosamente. Como disse Victor Hugo: "Não há nada como o sonho para criar o futuro. Utopia hoje, carne e osso amanhã". Queremos que conceitos se encontram apenas em nossas mentes e corações hoje, se tornem realidades amanhã. Que não deixemos de caminhar. Contemplar milhares de pessoas nas ruas de Piracicaba e tantos outros milhões nas ruas das principais cidades e capitais de nosso país, com faixas e cartazes, reivindicando seus direitos e denunciando a corrupção política em nosso país, é realmente utópico. A minha oração é que o meu coração se vicie em utopias, como disse o Frei Beto, e não em coisas sem valor. Para terminar, quero deixar claro, que há irmãos na fé que não saíram as ruas e muito menos apoiam as atuais manifestações por razões ideológicas e políticas. Não os chamo de idiotas. É a posição deles e devemos respeitar. O que me intriga e me motiva a escrever este texto, são os irmãos que acham extremamente espiritual a atitude de alienação política. Não sejamos idiotas! Siga o Cristo crucificado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu Blog · Design por Alves Alvin · Todos os direitos reservados - Copyright © 2014 · Tecnologia do Blogger