terça-feira, 16 de julho de 2013

ESSE FOI O MEU VALE. QUAL É O SEU?


Abaixo vai o testemunho do Douglas Mendes, o Douglão, como é conhecido por muitos!


Olá, meu nome é Douglas Mendes, sou filho único de pais amorosos. Passei por um vale sombrio e graças a Deus estou aqui. Sempre tive meu pai como herói, um homem que eu admirava. Vi meus pais se divorciarem (após 25 anos de casados). Diante disso procurei sempre me manter neutro. Mas de certa forma meu pai achou que eu era culpado pelo divórcio. Foi ai que começou o vale. Discussões infinitas, traição, implicâncias, ofensas, agressões a minha mãe, à minha ex-namorada e a mim também. Tudo isso sempre regado ao alcoolismo cada vez mais frequente.  O que acontecia só nos fins de semana tornou-se diário. Era muito difícil ver meu pai (meu “herói”) se diluindo em álcool.  Eu via minha mãe exausta de tanto chorar com toda aquela humilhação.  Foi quando um dia o vale ficou ainda mais escuro. Minha mãe não havia chegado do trabalho eu me encontrava em meu quarto, pois evitava transitar em casa quando meu pai estava presente. Ele arrombou a porta do meu quarto com um chute, e se dirigiu em minha direção com ofensas. Conseguindo me desviar dele tentei sair de casa. Para evitar o pior, mas num surto de exaustão com toda a situação, eu me deixei levar pelas brigas diárias pelas palavras de ofensa à minha mãe que eram constantes, e acabamos nos agredindo! Pai contra filho, filho contra pai. Não houve vencedor, pois os dois perderam. Ali acabou um relacionamento. Eu nunca mais pisei naquela casa, pois ele havia me ameaçado de morte e estava andando sempre com uma faca.  Tive que viver com a dor de ter desrespeitado meu pai (herói, amigo, companheiro). Um remorso, uma culpa que por muitas vezes me fez chorar, e me sentir o pior ser humano da terra. Ficamos dois anos sem nos falar ou estar no mesmo ambiente. Eu sempre pedia a Deus para que ele nunca precisasse de mim, pois eu não queria mais vê-lo. Mas um dia Deus nos colocou frente a frente e refizemos as pazes, com um longo abraço e pedidos de desculpas, tudo regado a muitas lágrimas... Mas ainda existia a dor, magoa de todo o ocorrido e foi quando Deus começou o tratamento milagroso (que só ele é capaz de fazer) em mim. Estreitamos nossa relação novamente. Mas de tanto beber meu pai desenvolveu cirrose e outras doenças. Entrei em desespero, pois de alguma forma me sentia responsável. Infelizmente, tudo tem consequências.  Meu pai veio a falecer. Um mês antes encontrei com ele e tivemos uma conversa que até hoje ecoa em meu coração. Ele estava feliz com um sorriso fácil na face. Não foi fácil, mas a graça de Deus me tirou a dor de todo o mal entendido entre nos dois. Aquele vale escuro acabou. Pela graça de Deus, entendi que os momentos difíceis veem não apenas para amadurecer a nossa fé, mas também para nos ensinar algo profundo em nossos relacionamentos. Este foi o meu vale, qual é o seu? Deus cuida de você. Pois "Ainda que eu ande por um vale de sombras e de morte não temerei mal algum, pois a tua vara e o teu cajado me consolam" (Salmo 23.4)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu Blog · Design por Alves Alvin · Todos os direitos reservados - Copyright © 2014 · Tecnologia do Blogger