quinta-feira, 11 de outubro de 2012

OUVI FALAR DE FLORES





"Ouvi falar de flores
Flores que nascem, perfumam e morrem
Você é a flor que perfumou aquilo que em mim era morte.

Ouvi falar de flores
Flores que lindos jardins enfeitam
Jardins que outrora secos, hoje férteis vicejam.

Ouvi falar de flores
Flores imortais que brilhos possuem.

Ouvi falar de flores
Flores lindas carmesim
Camila Ribeiro, você sempre será uma flor a crescer dentro de mim".




Poema de minha autoria, dedicado a minha namorada Camila Ribeiro.

sábado, 6 de outubro de 2012

"NA BOA", NÃO VENHA COM MORALISMO PARA O MEU LADO...


Existe uma grande diferença entre moralidade e moralismo. Moralidade é a capacidade raciocinada que temos para julgar o que é certo e o que é errado, o que é bom e o que é mau, o que é justo e o que é injusto e o que é nobre e o que é vil. Já o moralismo é a atitude extrema de banalizar essa capacidade de julgar, orientando as nossas ações de fora para dentro. Uma pessoa moralista é caracterizada pela excessiva preocupação com a reação dos “outros”, com a interpretação que os “outros” farão e com a forma como os “outros” irão pensar. Quanto mais moralista uma pessoa é, menos moral ela tem. Particularmente estou de “saco cheio” de gente moralista. Elas sempre estão vendo maldade em tudo a sua volta, com a desculpa de estarem pré-ocupadas com o que os outros irão pensar… Pode parecer acidez de minha parte, mas quero dizer que se eu estiver aprovado por Deus em minhas atitudes, não estou nem aí para o que os outros irão pensar! Seja moral, mas nunca moralista! Abaixo o moralismo de qualquer espécie! Siga o Cristo crucificado!

DEUS PEGOU NO MEU BILAU...


Sabia que Deus pegou no bilau? Assista e saiba o porquê!!! Siga o Cristo crucificado!

HOMENAGEM A MINHA NAMORADA CAMILA!


Deus é um Deus que ouve oração? Esta pergunta é feita constantemente, e a resposta dela está nas Escrituras Sagradas. De fato a Bíblia diz que Deus ouve o clamor que sobe da terra, e em muitos casos responde as orações dos homens. Durante muito tempo na minha vida clamei a Deus a respeito de uma faceta muito importante. Pedia a Deus que me preparasse uma pessoa segundo a sua vontade para estar comigo e ser minha companheira e amiga. Tive um relacinamento que perdurou alguns anos, mas que com o tempo provou não ser a verdadeira resposta de Deus ao meu antigo clamor. Após esse episódio, cheguei as raias de acreditar em meu coração que Deus não tinha dado a miníma atenção ao meu clamor e as oraçãos que eu havia feito. Há alguns meses, comecei a orar de novo por tal faceta de minha vida. Confesso que sem àquela empolgação e confiança do passado, mas crendo no caráter de Deus. Pedia em minhas novas orações, dentre outras coisas, que Deus me surpreendesse de verdade. Em meio ao processo dessas orações, sem perceber, Deus começara a me surpreender. Conheci uma garota (a mais especial que já vi em toda a minha vida), e de forma natural fui me apaixonando pelo seu jeito e pelo seu caráter. Com passar dos dias, ao passo em que eu a conhecia melhor, pude ver nela, qualidades as quais pedia a Deus em minhas antigas orações. Não podia imaginar que Camila Ribeiro era a resposta de Deus as minhas antigas e novas orações. Deus havia mandado o seu presente para mim e ele chegara no momento certo! Hoje estou namorando com a Camilinha e o que eu posso dizer é que ela é a resposta de Deus as minhas orações. Deus me presenteou além do que eu merecia, pois me deu uma namorada linda por dentro e por fora, responsável e cheia de caráter. A cada dia que passa o meu amor por esta garota cresce e se solidifica mais. Estar com o “meu presente” é bom de mais. É um sonho realizado, uma alegria sem fim… a festa do meu coração. Camilinha, eu amo você e quero que todo mundo saiba disto! Termino com o meu poema preferido, que porventura é do meu poeta predileto, Carlos Drummond de Andrade:
Memória
Amar o perdido
deixa confundido
este coração.

Nada pode o olvido
contra o sem sentido
apelo do Não.

As coisas tangíveis
tornam-se insensíveis
à palma da mão

Mas as coisas findas
muito mais que lindas,
essas ficarão.

Camilinha, as coisas findas (o que você representa para mim e o que eu represento para você), muito mais que lindas (as coisas que achavamos que precisavamos), essas ficarão. Siga o Cristo crucificado!

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

DEUS ESTÁ NO CONTROLE MESMO?




Esses dias comecei a ler sobre uma vertente teológica relativamente nova em nosso país, o movimento do “Teísmo Aberto”, também conhecido como "Teologia Relacional" ou Teologia do Processo". Segundo os teólogos do “Teísmo Aberto”, Deus só pode conhecer o que de fato existe, portanto, como o futuro não existe, Deus não pode conhecê-lo. Segundo esses teólogos, o futuro está em aberto, o que impossibilita Deus de ter controle sobre o futuro. Ao ler os argumentos e analisar o ponto de vista dos proponentes de tal movimento, minha mente e o meu coração aceitaram de forma mais apaixonada e convicta a realidade de que Deus, segundo as Escrituras Sagradas, é um Deus Soberano, ou seja, ele cuida de cada detalhe de nossas vidas e contempla o passado, presente e futuro, da perspectiva de alguém que numa arquibancada enxerga o bloco de carnaval passar, tendo acesso a todos os ângulos. Baseado principalmente nas Escrituras e secundariamente em minhas experiências pessoais, sou levado a crer que Deus é Soberano, Onisciente (sabe todas as coisas), Onipresente (está em todos os lugares ao mesmo tempo), Onipotente (tem todo o poder) e Onividente (vê tudo em todo lugar). Este é o Deus que eu sirvo. Um Deus que sempre levanta a plaquinha: “Eu já sabia!”. Viver com um Deus assim, nos tranquiliza e nos acalma, pois ele está no controle mesmo quando não sentimos. Termino com a frase de Agostinho de Hipona, que endossa a Soberania de Deus. Ele disse: “Todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, até mesmo os seus pecados”. Siga o Cristo Crucificado!

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

NAMORO: MUITA CALMA NESSA HORA!


Por que jovens grandemente usados por Deus, o abandonam, voltando assim a viver vidas vazias e medíocres? Essa é uma pergunta motivada pela experiência. Estou envolvido no trabalho com jovens a quase 11 anos, desde que me converti ao Cristianismo. Nesses anos de envolvimento tenho visto jovens serem transformados nos seus hábitos e estilos de vida, através do evangelho de Cristo. Infelizmente também tenho presenciado muitos desses mesmos jovens abandonarem a fé, e em alguns poucos casos, apenas se esfriarem nela. Diante de casos como esses é consequente a pergunta por quê? Por que isso acontece? O que muda a mente desses jovens tão rapidamente? Sempre fiz essas perguntas. Mergulhando na Bíblia e na experiência, encontrei a resposta. Em 99,9% dos casos de abandono de práticas da fé e esfriamento espiritual, a causa principal é o envolvimento afetivo desses jovens com outros jovens não cristãos, ou seja, uma união de cosmovisões incompatíveis (a luz com as trevas). A Bíblia claramente adverte os cristãos, na segunda carta aos Coríntios a  não se envolverem com descrentes por meio de compromissos pactuais: “Não se ponham em jugo desigual com descrentes. Pois o que têm em comum a justiça e a maldade? Ou que comunhão pode ter a luz com as trevas? Que harmonia entre Cristo e Belial (demônios)? Que acordo há entre o templo de Deus e os ídolos? Pois somos santuário do Deus vivo. Como disse Deus: “Habitarei com eles e entre eles andarei; serei o seu Deus, e eles serão o meu povo”. (2° Coríntios 6.14-16). O namoro é um compromisso pactual, onde duas pessoas de sexos opostos se responsabilizam mutuamente a prestar contas de suas vidas e a amarem-se, preparando-se assim (segundo a concepção cristã), para um compromisso infindável e maior, que é o casamento. Para o cristão, o envolvimento com um descrente através de um namoro, é o princípio do esfriamento espiritual. É triste ver muitos jovens destruindo suas vidas por não obedecerem a essa verdade da Palavra de Deus. O que na maioria das vezes leva esses jovens a procurar descrentes para uma relação de namoro é a impaciência. Impaciência em esperar a pessoa e o tempo certo para se iniciar um namoro. Na minha igreja, muitos me procuram em busca de aconselhamento. Em muitos casos sei que não é o momento adequado para que tais jovens iniciem um namoro. Digo isso a eles, mas frequentemente não entendem. Agem pelo impulso emocional que comumente os engana, e então começam a namorar, sem entender que todo namoro precisa de um contexto ideal para dar certo. O contexto ideal para o sucesso de qualquer namoro, envolve pessoa e momento certos. Desfrutar do momento certo é estar emocional e espiritualmente preparado para entrar numa relação séria como o namoro. A pessoa certa é aquela que compartilha da mesma fé e com quem se tem grande afinidade e sentimentos de atração. Respeitar o momento certo tem a ver com a atitude de esperar no Senhor. Eu mesmo (após a minha conversão) esperei para iniciar um namoro durante um período de cinco anos. Durante esse tempo surgiram varias oportunidades de eu começar a namorar, mas em todas elas não havia o contexto certo. Esperar cinco anos não foi nenhum pouco fácil para mim. Minhas emoções foram confundidas muitas vezes. Chorei diante do Senhor em muitas ocasiões. Mas, me apeguei na promessa de Deus de que se eu esperasse, ele saciaria os desejos do meu coração. Tive um primeiro relacionamento que perdurou alguns anos, mas que mostrou-se não ser a vontade de Deus para a minha vida. Após isso, conheci uma linda garota, chamada Camila. Hoje, eu e a Camila estamos muito felizes na presença de Deus. A Camila é a concretização da minha espera e de minhas orações a Deus. É muito bom ter alguém como ela do meu lado. Posso dizer para todos os jovens que estão tristes e impacientes por essa área afetiva, que vale a pena esperar no Senhor.  O meu período de espera não foi moldado só por tristezas e sentimentos de solidão. Muito pelo o contrário, foi uma das épocas mais alegres e produtivas de minha vida. Firmei fortes e verdadeiras amizades que permanecem até hoje e também realizei muitas coisas para Deus, amadurecendo nEle. Deus não falha; ele saciará os desejo do seu coração. Espere no Senhor Jesus Cristo aceitando o período de espera como disciplina dEle para a sua vida. Ele se preocupa muito com essa particularidade da sua vida, tanto que preparou um contexto certo para você começar a namorar. Siga o Cristo crucificado!

NAMORO É DOCE?

Umas das minhas tarefas como líder de jovens de uma igreja local, é ouvir e aconselhar jovens. De todos os assuntos pelos os quais a maioria dos jovens me procuram nenhum supera o namoro. Alguns querem começar a namorar, outros querem terminar o namoro e outros não querem enfrentar as responsabilidades naturais de um namoro. Todas as vezes que saio de um encontro com alguns desses jovens, me pergunto se realmente eles sabem o que é namorar. Para a maioria dos jovens de hoje em dia, namorar é igual comer doce. Alguns namoros são mais açucarados, outros menos. Mas no final, todos são como a experiência de comer um doce: uma delícia que dura pouco.  Os namoros de hoje em dia não são como os de antigamente. Antigamente os namoros eram sérios. Os jovens faziam pactos de relacionamento e se preparavam para o casamento. A maioria dos namoros davam certo. Infelizmente, hoje em dia os jovens não entendem o propósito do namoro. Namoram somente quando querem dar um passo a frente em suas relações escondidas. Namoro, segundo o ponto de vista dessa geração, é uma forma contraditória de experimentar um compromisso sem responsabilidades. Eles querem namorar, mas sem ter de ligar e dar satisfação. Querem desfrutar do namoro sem ter de respeitar limites e regras. Esse tipo de namoro, como disse a pouco, é como a experiência de comer um bom doce que faz bem para o paladar, mas que acaba rápido. Namoro é doce? Namoro para mim, vai além do comparativo de comer um doce. Namoro é antes de tudo, uma aliança. Uma aliança espiritual entre duas pessoas de sexos opostos. Pessoas que pretendem se conhecer e estender esse conhecimento mútuo para as fronteiras do casamento. Tenho experimentado isso em minha vida. Já namorei alguns anos antes de me casar. No meu namoro com a minha atual esposa,  aprendi a amá-la. Também aprendi que mais prazeroso que dar beijos e abraços nela, era contribuir para o crescimento de outros jovens, juntamente com ela. Namoro é compromisso, mas também é liberdade. Compromisso com o outro e liberdade em ser quem sou. Namorar é muito bom, mas é preciso de muito cuidado, pois pode estragar. Namoros que dão certo são namoros voltados para os outros; que incluem as pessoas, os amigos, os pais e principalmente Deus. Você precisa entender que namoro não é doce. Namoro é muito melhor que doce. É uma espécie de pizza de chocolate: doce, mas com o poder de sustentar. Para você que namora ou que pretende namorar, vai a dica: não fique só no doce, valorize aquele que pode sustentar qualquer relação: Jesus Cristo. Siga o Cristo crucificado!
Seu Blog · Design por Alves Alvin · Todos os direitos reservados - Copyright © 2014 · Tecnologia do Blogger